Estresse favorece surgimento de doenças evitáveis

Estresse favorece surgimento de doenças evitáveis

my-portfolio

A mente da pessoa estressada está pressionada, isto causa sofrimentos e não deve ser aceito como normal. É um excesso, alerta a Dra. Daniele N. Tubini, psicóloga.

Adeus picadas: é criado “bafômetro” que mede açucar no sangue
Adesivo anti-alzheimer é tratamento gratuito no SUS
7 motivos que comprovam que ter um cão é saudável

Todo poderoso estresse

A Organização Mundial de Saúde afirma que hoje em dia cerca de 90% da população do planeta sofre de estresse e por isso, a entidade alerta para uma possível epidemia global, afinal o estresse é visto como um conjunto de sintomas físicos e psíquicos que pode levar a outras patologias.

“O estresse é uma força que age dentro de nós sem que se tenha ampla percepção de sua ação. Isto acontece porque ele surge na nossa vida em pequenas doses e desde muito cedo, por isso ele ocorre, digamos, de forma imperceptível ou inconsciente. A grande realidade é que só nos damos conta dele, quando a situação é notória e impossível de ser evitada”, explica o Dr. Sandro Tubini, psicólogo e psicoterapeuta da Clínica de Comportamento e Saúde.

Veja a lista de algumas das enfermidades mais comuns causadas pelo estresse:

  • Obesidade: a pessoa estressada acelera o próprio metabolismo, por isso aumenta o apetite e acaba comendo mesmo sem perceber.
  • Problemas na pele: em situações estressantes, o corpo da mulher pode produzir uma quantidade maior de testosterona, o hormônio masculino. O resultado disso é o surgimento de acne, psoríase, vitiligo e herpes labial.
  • Rugas: Isso porque, além de o estresse estimular a fabricação de radicais livres (moléculas que favorecem o envelhecimento da pele), a pessoa que vive estressada está sempre com os músculos da face franzidos.
  • Irregularidade menstrual: o ciclo pode sofrer uma reviravolta por causa do estresse. Em alguns casos a mulher chega até a parar de menstruar.
  • Menopausa precoce: pesquisadores da Universidade de Versailles, na França, analisaram 1.500 mulheres com 50 anos ou mais e descobriram que as mais estressadas no trabalho tinham maior tendência a iniciar a menopausa bem antes da idade média de 52 anos.
  • Infertilidade: casais com nível de ansiedade elevado podem ter o sistema reprodutor comprometido e, por isso, apresentar dificuldade para engravidar.
  • Doenças gastrointestinais: a tensão constante pode causar prisão de ventre, diarreia, gastrite e úlcera.
  • Câncer: de acordo com um estudo realizado pela Universidade de Yale, nos Estados Unidos, e publicado na revista Nature, o estresse seria capaz de emitir sinais para que as células desenvolvam tumores.
  • Doenças da boca: pesquisadores da Faculdade de Odontologia de Piracicaba e da Universidade Estadual de Campinas publicaram um estudo no qual observaram que pessoas estressadas estão mais propensas a desenvolver doenças periodontais – que atingem o conjunto de tecidos ao redor dos dentes.
  • Doenças cardíacas: um estudo realizado com servidores públicos em Londres e publicado na revista científica European Heart Journal, avaliou que aqueles com idade abaixo de 50 anos e portadores de estresse crônico tinham 68% mais chance de sofrer com doenças cardíacas quando comparados aos funcionários que atuavam em ambiente livre de estresse.
  • Qualidade de vida: É importante ressaltar também que pessoas extremamente estressadas têm como sintomas a hipersensibilidade emotiva e a irritabilidade.

Equipe Comportamento e Saúde

COMMENTS

WORDPRESS: 0
DISQUS: 0