Estresse

Estresse

my-portfolio

"A pessoa vive tensa, não consegue relaxar, dorme mal e sente muito cansaço", explica o Dr. Sandro Tubini, psicólogo.

Por que nossos filhos estão precisando tanto do divã?
Coaching de Pais: Bullying
As melhores formas para se combater a ansiedade

O que é Estresse?

O Estresse é o resultado da relação entre o indivíduo e o ambiente, especificamente, corresponde a uma resposta psíquica e orgânica frente à situação desafiadora.

Existem 3 categorias de acontecimentos estressantes:

1) Grandes acontecimentos – pouco freqüentes, mas profundos (luto, seqüestro, separação, abusos,etc);

2) Acontecimentos do cotidiano – mais freqüentes, porém desgastantes (trabalho, doenças, conflitos pessoais e familiares,etc);

3) Conflitos contínuos da vida – menos freqüentes e inesperados (problemas de casais, desemprego prolongado, dificuldade em educar filhos, etc).

Recentemente as Ciências Mentais reconheceram um novo transtorno, batizado de Transtorno de Estresse Pós-traumático, pertencente ao Estudo da Ansiedade.

Como é estar estressado?

O Estresse é essencialmente um grau de desgaste da mente e do corpo, portanto a impressão de estar nervoso, agitado, neurastênico ou debilitado são percepções do estado de Estresse. Seus sintomas são:

Sintomas físicos

  • Dores de Cabeça;
  • Cansaço exagerado;
  • Problemas no aparelho digestivo;
  • Dores musculares sem causas detectadas;

Sintomas psíquicos

  • Insônia;
  • Inquietação, impaciência e irritabilidade;
  • Perda de Concentração e memória;
  • Diminuição do desejo sexual: frigidez na mulher e disfunção erétil ou ejaculação precoce no homem.

Importante: A palavra Stress possui origem inglesa e significa Pressão ou Tensão.

Causas do Estresse

Fator Psíquico.

  1. Perturbações e Traumas ocorridos durante o Desenvolvimento e a Formação da Personalidade caracterizam um quadro propício para o surgimento da enfermidade.
  2. Exposição a circunstâncias traumáticas que são persistentemente revividas em recordações, sonhos ou até fazem parte do cotidiano do indivíduo.

Fator Psicossocial. A relação organismo-ambiente que existe nos grandes centros urbanos (violência, economia instável e as características atuais do trabalho) é decisiva para o desenvolvimento do Estresse.

Fator Genético. O Estresse é o resultado da ação excessiva de um componente genético (um reflexo automático que visa garantir a sobrevivência em situações ameaçadoras).

Quem tem mais chance de ficar com Estresse?

  • Pessoas em processos traumáticos (Exemplo:luto,separação, etc);
  • Pessoas impacientes e ansiosas;
  • Pessoas que vêem problemas em tudo;
  • Pessoas que abrem mão do descanso e lazer;
  • Profissionais sob pressão;
  • Profissionais muito competitivos;
  • Profissionais insatisfeitos na profissão.

Importante: Estima-se que o nível de Estresse na população brasileira esteja 50% mais elevado do que há quarenta anos e que oito em cada dez brasileiros que vivem nestes centros urbanos apresentem algum sintoma de Estresse.

E quem não se trata?adult-18792_640

A demora para o tratamento leva a muitos prejuízos individuais (orgânicos e psicológicos) e as doenças psicossomáticas surgem como a principal conseqüência dos desajustes dos processos psicológicos do indivíduo.

A curto prazo, o estresse gera um estado de tensão constante, que precipitam o início, a recorrência ou agravamento dos sintomas.

A longo prazo, o estresse que se torna crônico, causa o “esgotamento” que acaba levando a manifestações de doenças psicossomáticas  como bronquite asmática, úlcera, hipertensão, dores de cabeça, problemas sexuais, problemas menstruais, gastrite, infarto do miocárdio, doenças de pele, etc. Você sabia?

Como é o diagnóstico e o tratamento para o Estresse?

Como não existe exame laboratorial específico para o diagnóstico de estresse é fundamental a avaliação de um especialista em Saúde Mental (profissional psicólogo e/ou psiquiatra).

O mais indicado nestes casos em que a fragilidade psíquica do indivíduo fica evidente é o tratamento psicológico, a conhecida PSICOTERAPIA (que pode ser combinada com medicamentos em alguns casos).

Mas para que não haja evolução deste quadro é fundamental o apoio da família e amigos, pois o preconceito pode ser uma barreira ao tratamento.

Portanto no caso do aparecimento de alguns dos sintomas previamente descritos não hesite em procurar um especialista em Saúde Mental (profissional psicólogo e/ou psiquiatra), juntos eles indicarão o melhor tratamento para o alívio desta enfermidade.

Importante: Remédios são importantes aliados,  mas o tratamento psicológico é imprescindível.

Equipe Comportamento e Saúde

COMMENTS

WORDPRESS: 0
DISQUS: 0