Jovens homossexuais não se previnem com preservativos

Jovens homossexuais não se previnem com preservativos

my-portfolio

Um novo comportamento sexual sem regras pode impactar nocivamente sobre a saúde e sobre a vida do ser humano, conclui o Dr. Sandro Tubini, psicólogo.

Estão tentando tirar o controle dos pais sobre seus filhos
Afogamento aumentam quando pais mexem no celular
20 razões para você ter um cachorro

Sexo LGBT

Nada mais adequado do que fazer da maior manifestação sobre liberdade sexual do Brasil como fonte de informação para entendermos os comportamento sexual da moçada, mas o comportamento dos jovens da comunidade LGBT pode comprometer sua saúde e sua qualidade de vida por conta da busca de prazer.

Por isso durante a Parada LGBT deste ano (2013) foi efetuado um levantamento com dados surpreendentes pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Veja:

  • 20% afirmaram que o uso da camisinha não é frequente;
  • 42% dos jovens homossexuais masculinos deixam de usar preservativos em suas relações;
  • 43,7% dos jovens homossexuais do sexo feminino afirmaram nunca ter usado preservativos;
  • 50% dos jovens homossexuais (masc e fem) ultrapassaram a casa dos 10 parceiros sexuais.

Sexo imprudente

Albertina Duarte Takiuti (Coordenadora do Programa Estadual de Saúde do Adolescente), esclarece que, “Não é por falta de informação que estes jovens deixam de utilizar o preservativo. Eles têm o conhecimento, mas por insegurança ou falta de intimidade acabam negligenciando o uso e não exigem isso do parceiro, o que é um erro, pois ficam expostos a diversas doenças sexualmente transmissíveis”.

Impacto no comportamento e na saúde

“O sexo de hoje em dia deixou de ser exclusivamente para fins reprodutivos, atualmente o sexo é entretenimento, seja para se fazer, para se ver ou até mesmo para vender. Assim o ser humano, nesta busca de prazer e novidades acabou transformando o que antes era uma atividade intima, pessoal e reservada, num novo comportamento sem regras e sem limites. O novo comportamento sexual impacta nocivamente sobre a saúde e sobre a vida do ser humano, por isso é importante lembrar que na vida sempre existem limites e eles devem ser respeitados. Previna-se.”, esclarece o Dr. Sandro Tubini (psicólogo e psicoterapeuta da Clínica de Comportamento e Saúde).

Equipe Comportamento e Saúde

COMMENTS

WORDPRESS: 0
DISQUS: 0