Você tem vergonha de amar?

Você tem vergonha de amar?

my-portfolio

"O amor é resultado de uma entrega de si para o outro, um sentimento maravilhoso que nos proporciona uma das maiores emoções que o ser humano é capaz de sentir", explica o Dr. Sandro Tubini, psicólogo.

Ser grato ajuda a viver melhor e mais feliz
Como dar limites para as crianças de acordo com a idade?
10 dicas para não descontar a ansiedade na comida

Vergonha de amar

Vocês acham que existam pessoas que possuem vergonha de amar? Pois saibam que existem sim. Claro que elas não admitem isso publicamente e muitas vezes elas nem tem clara consciência desta situação, mas acontece com frequência, especialmente com homens.

É. Num cultura onde onde “homem não pode chorar” existem muitos outros “tabus” impostos por um regime de valores que impede que algumas pessoas vivam o lado bom da vida e por conta disso, suas vidas acabam tomando um outro caminho não tão feliz, mas que é aceito socialmente. Fazer o quê…

O que é vergonha?

A vergonha é uma condição psíquica intimamente ligada ao nível de consciência que a pessoa tem e é influenciada fortemente pelos valores morais e sociais. É exatamente por causa desta emoção que muitas vezes deixamos de fazer muitas coisas erradas, afinal só um ser-vergonha faria.

Ao mesmo tempo, desde pequeno nós aprendemos (em casa e na rua) uma lista de fatos e atitudes que não devem ser tomadas, por não serem socialmente aceitas. O problema é que nesse processo de aprendizagem nem tudo são flores e muitas vezes nós podemos ser confundidos e influenciados a agir ao contrário do que seria o correto.

Será que é “feio” amar?

Um exemplo simples desta confusão pode ser constatada sobre a ideia de demonstração pública de carinho. Pense nisso por uns momentos: beijos e mais beijos sendo exibidos publicamente. Afinal… Pode ou não pode? Os pais aprovam ou reprovam? Os amigos curtem ou fazem chacota? Você aceitaria ver seus pais fazendo isso publicamente? E o pior… Você aceitaria ver seus pais fazendo isso em casa?

Vejam que a resposta que mais se encaixa com todas as perguntas acima é: depende.

Por isso, independente da conclusão, fica claro que uma mensagem confusa é passada para todos nós e uma dúvida paira no ar: será que é “feio” ou “errado” amar?

O impacto no comportamento e na saúde

Claro que não é feio e nem errado amar, mesmo porque o ser humano já nasce com emoções básicas como: alegria, tristeza, medo e raiva.

Além do que, o amor é responsável por um conjunto de ações psicofísicas que se inicia na mente através da percepção do desejo por alguém, em seguida a o cérebro libera no organismo o hormônio do prazer  e bem estar (ocitocina) ao mesmo tempo em que diminuem os níveis do hormônio do estresse (cortisol).

Toda esta sensação faz com que as pessoas se sintam muito bem, com uma grande sensação de bem estar e isso só faz bem para a cabeça e para o corpo. Escolha o que é melhor para você e para sua vida, independente do que as pessoas vão pensar de você. Ame.

Segundo o Dr. Sandro Tubini, psicólogo, “O amor é resultado de uma entrega de si para o outro, um sentimento maravilhoso que nos proporciona uma das maiores emoções que o ser humano é capaz de sentir”, conclui.

Equipe Comportamento e Saúde

COMMENTS

WORDPRESS: 0
DISQUS: 0