Casamento faz diabéticos e cardíacos viverem mais

Casamento faz diabéticos e cardíacos viverem mais

my-portfolio

"A união verdadeira é digna de sucesso. Ela proporciona zelo, cumplicidade e alegria entre o casal, por isso é natural que o o amor preencha os espaços e ocupe as lacunas do descaso trazendo saúde em todos os níveis", explica o Dr. Sandro Tubini, psicólogo.

Luta contra bullying nas escolas vira lei
Coaching de Pais: Birra
A felicidade permeia desde a frustração até a resiliência

Casamento saudável

Será que o casamento faz bem para a saúde? Uma pesquisa apresentada na conferência da Sociedade Cardiovascular Britânica, em Manchester, no Reino Unido, garante que sim.

O levantamento da Escola Médica da Universidade de Aston analisou dados de saúde de quase um milhão de britânicos por mais de uma década e mostrou que, entre os que têm fatores de risco cardíaco – colesterol alto, hipertensão, diabetes tipo 2 -, os solteiros têm uma taxa de mortalidade maior do que os casados.

A pesquisa sugere que pessoas casadas buscam um estilo de vida mais saudável e tomam com mais frequência os medicamentos. Por isso, os cientistas suspeitam que o casamento ajuda a amortecer fatores de risco de doenças cardíacas, incluindo colesterol alto e hipertensão.

Por que?

Homens e mulheres por volta dos 50, 60 e 70 anos com colesterol alto eram 16% mais propensos a estarem vivos ao final dos 14 anos de estudo se eram casados. A mesma tendência se verificou nas pessoas com diabetes tipo 2 e hipertensão.

“A união verdadeira é digna de sucesso. Ela proporciona zelo, cumplicidade e alegria entre o casal, por isso é natural que o o amor preencha os espaços e ocupe as lacunas do descaso trazendo saúde em todos os níveis”, explica o Dr. Sandro Tubini, psicólogo.

A situação era menos clara para pessoas que vivem juntas sem serem casadas, além de divorciadas e viúvas. Os pesquisadores também não analisaram se as pessoas casadas estavam em casamentos felizes, mas suspeitam que o casamento traga efeitos “protetores”, e que estes resultam do “apoio social maior”, que ajuda na busca por “um estilo de vida saudável e melhor adesão a medicações”. Veja:

  • “Precisamos entender melhor essas razões, mas parece que existe algo em estar casado que é protetor, não apenas em pacientes com doenças do coração, mas também as que têm fatores de risco para as enfermidades”, disse Carter;
  • “No entanto, não estamos dizendo que todos deveriam se casar. Precisamos replicar os efeitos positivos do casamento sobre a rede social (de solteiros) que tem base em família e amigos”, acrescenta.

Equipe Comportamento e Saúde (SoNoticiaBoa)

COMMENTS

WORDPRESS: 0
DISQUS: 0