Infância

Infância

my-portfolio

"A melhor maneira de tornar as crianças felizes, é torná-las saudáveis", afirma a Dra. Daniele N. Tubini

Coaching de Pais: Autismo
Coaching de Pais: Bullying
Mãe pune filha pelo bullying e dá exemplo

A infância no divã

Primeiramente, é importante esclarecer que a maioria dos transtornos de adultos tem seu início durante a infância, mas que geralmente são diagnosticados só na idade adulta. Os transtornos infantis são mais comuns do que se imagina.

Só nos últimos 10 anos o número de pacientes abaixo de 13 anos dobrou e entre os menores (até 3 anos), o índice triplicou. Vários motivos contribuem para esse fenômeno. Um deles é positivo: procurar ajuda para resolver questões da mente deixou de ser tabu.

“O tratamento da criança deve ser iniciado o quanto antes, ao primeiro sinal de mudança de comportamento, para que o seu desenvolvimento psíquico não seja prejudicado e nem se torne gatilho para uma doença psíquica futura”, esclarece a Dra. Daniele N. Tubini, psicóloga e psicoterapeuta da Clínica de Comportamento e Saúde.             .

Quais são os sinais de que a criança precisa de psicoterapia?

  • Agitação ou ansiedade nos afazeres do dia-a-dia;
  • Agressividade permanente em forma de brigas e birras;
  • Alimentação: medo de ingerir um alimento específico, recusa a comer; ânsia e vômito quando forçado e comer mais do que o usual;
  • Aprendizado: queda no rendimento escolar;
  • Comunicação: não consegue contar uma história do começo ao fim ou explicar como foi seu dia;
  • Depressão: chora mais e fica mais de mau humor;
  • Desligamento: não presta atenção no que ocorre à sua volta ou no que lhe dizem;
  • Medo: medos exagerados e fobias repentinas, sem motivação aparente.
  • Socialização: dificuldade de contato com amigos, inclusive nas brincadeiras, acaba se isolando;
  • Sono: xixi na cama, ranger de dentes, pesadelos frequentes e gritos durante o sono.

Causas das crises infantis

Fatores Psíquicos.

  1. Perturbações e Traumas ocorridos durante o desenvolvimento e a formação da personalidade.
  2. Falta de contato dos pais com os filhos, baixa auto-estima, exposição a circunstâncias de rejeição e abandono afetivo, punição inconsistente, falta de disciplina, superproteção familiar, dentre outras.

Fatores Genéticos. Predisposição hereditária da doença em crianças com pais portadores do distúrbio.

Fatores Sócio-culturais. O meio ao qual a criança é submetida (violência, abandono, economia instável e a desestrutura familiar).

Quais crianças precisam de tratamento psicológico, a psicoterapia? 

  • As hiperativas ou TDAH;
  • As com problemas escolares;
  • As com vida digital intensa;
  • As com dificuldades com regras;
  • As com dificuldades em serem frustradas;
  • As com medos excessivos;
  • As que sofreram assédio moral (bullying);
  • As que convivem com a fase de separação dos pais;
  • As que estão acima do peso;
  • As que apresentam comportamento opositor aos pais;
  • As submetidas a abusos físicos, sexuais e psíquicos;

Importante: “O que vale a pena destacar é que o tratamento psicológico pode eliminar totalmente a causa dos transtornos, se aplicado ainda em tempo, pois a criança possui a capacidade fundamental para a cura que é o fato de não estar plenamente desenvolvida física e psiquicamente”, conclui o Dr. Sandro Tubini, psicólogo e psicoterapeuta da Clínica de Comportamento e Saúde.

E quem não se trata?

adult-18792_640

No início, a resistência dos pais em aceitar o tratamento, mostra fraqueza e falta de comando e é nessa fase que surgem tentativas, geralmente inúteis, de resolver as dificuldades.

As consequências afetam tanto pais quanto filhos. Gradativamente, os pais passam a ter sentimentos ambíguos em relação aos filhos (alegria e tristeza, raiva e culpa), enquanto que os filhos passam a preferir opções rápidas de satisfação (games, redes sociais, etc) qualquer coisa que os distancie dos pais.

Enfim, com este panorama, a ansiedade, o pânico, o  estresse, a depressão e outras angústias encontram terreno fértil para se desenvolver.

Como é feito o diagnóstico e o tratamento para estas crianças?

Como não existe um exame laboratorial específico para o diagnóstico dos transtornos infantis, é fundamental o diagnóstico de um profissional em Saúde Mental (Psicólogo infantil e/ou Psiquiatra infantil).

O diagnóstico é feito pelo psicólogo através do Psicodiagnóstico Infantil e o tratamento é definido de acordo com a dificuldade da criança.

O mais indicado nestes casos em que a fragilidade psíquica da criança fica evidente é o tratamento psicológico infantil, a conhecida ludoterapia (que pode ser combinada com medicamentos em alguns casos).

Mas para que o tratamento tenha sucesso é fundamental o apoio dos pais, que são incluídos no tratamento, pois a família é a base de toda saúde emocional da criança e o preconceito pode ser uma barreira ao tratamento.

Portanto no caso do aparecimento de alguns dos sintomas descritos, não hesite em procurar um especialista em Saúde Mental (profissional psicólogo e/ou psiquiatra), juntos eles indicarão o melhor tratamento para o alívio desta enfermidade.

Equipe Comportamento e Saúde

COMMENTS

WORDPRESS: 0
DISQUS: 0