Menos casados e mais solteiros felizes

Menos casados e mais solteiros felizes

my-portfolio

Os jovens trabalham e passam a ser independentes, o que faz do casamento apenas uma escolha e não uma necessidade, explica a Dra. Daniele N. Tubini, psicóloga.

Você tem vergonha de amar?
Ser grato ajuda a viver melhor e mais feliz
Dormir bem deixa as pessoas menos medrosas

Casados x solteiros

As tradições devem estar mudando, pelo menos é o que parece, pois nunca se viu tanta gente solteira e feliz no mundo todo. Mas antigamente ficar solteiro era considerado sinal de que a pessoa, quer seja homem ou mulher, tinha algum problema. Mas hoje em dia, o que mais existem são problemas em nossas vidas:

  • papai se separou, por causa da secretária;
  • meu irmão fugiu de casa com o jardineiro;
  • mamãe transou com o professor da escola;
  • meu primo “gênio” não consegue trabalhar;
  • e assim vai.

Então, o que pode ter de tão maléfico em querer ficar sozinho e “sem problemas”? Baseando-se na lista acima de opções, parece que morar sozinho tende a ser a solução mais “normal” de todas.

Hoje em dia

De acordo com as estimativas, a nossa sociedade tem uma característica diferente de todas as outras já existentes na história da humanidade, “Nenhuma sociedade na história da humanidade teve uma porcentagem tão grande de pessoas vivendo sozinhas”, explica o sociólogo norte-americano Eric Klinenberg, da Universidade de Nova York. Veja os números dos solitários em 2012:

  • Nos Estados Unidos, são 31 milhões, o que eleva a porcentagem a 28% da população;
  • No Japão, 30% das moradias abrigam pessoas vivendo sem companhia;
  • Na Suécia, Noruega, Finlândia e Dinamarca, o número chega a 45%.
  • No Brasil a coisa se assemelha, Por aqui, o número de pessoas que optam pela vida solo triplicou nos últimos 20 anos, passando de 2,4 milhões para 6,9 milhões, segundo dados do IBGE.

O impacto no comportamento e na saúde

“É claro que hoje temos mais poder de escolha do que antigamente, afinal todos trabalham muito cedo e passam a ser independentes financeiramente, o que faz da opção da companhia ou não, apenas uma escolha e não uma necessidade. Mas é bom lembrar que morar sozinho deve ser uma opção (passageira ou não), mas quando passa a ser isolamento deixa de ser saudável, realmente”, conclui Dra. Daniele N. Tubini (psicólogo e psicoterapeuta da Clínica de Comportamento e Saúde em SP).

Equipe Comportamento e Saúde

COMMENTS

WORDPRESS: 0
DISQUS: 0