Os comportamentos que são inimigos de sua libido

Os comportamentos que são inimigos de sua libido

my-portfolio

O sexo realizado através do corpo têm início na mente através da vontade e do desejo, por isso devemos manter uma sintonia psicofísica para evitarmos possíveis frustrações, alerta o Dr. Sandro Tubini, psicólogo.

Afogamento aumentam quando pais mexem no celular
Coaching de Pais: Bullying
Estão tentando tirar o controle dos pais sobre seus filhos

Os comportamentos inimigos da libido

O que nem todos sabem é que o ser humano apresenta uma relação psicofísica intensa e que é responsável por variações hormonais e motivacionais, o que quer dizer que a mente, as atitudes e o nossos comportamentos são responsáveis diretos de nosso desempenho orgânico. Entendeu? Então veja os exemplos abaixo:

Consumo de álcool

Se você acha que uma dosezinha vai deixá-la mais solta, você está certa. Mas se você bebe além do seu limite, você perde a condição de responder a estímulos externos e internos corporalmente e diminui o seu senso de percepção sobre si.

Sedentarismo

Não fazer exercícios físicos ou atividades físicas prazeirosas (como dançar), faz com que a energia e disposição que nos faz predispostas ao sexo, faltem.

Auto Estima

Pessoas que não estão satisfeitas consigo mesmo e que não conseguem vêem possibilidade de mudança, sofrem também com falta de desejo. Afinal, pensar que você não é desejável não excita muito, não é? OU Afinal, quem vai gostar de quem não se gosta?

Fumo

Além do fumo estar associado à ansiedade, a nicotina compromete o sistema vascular e o nervoso, fazendo você demorar mais para responder aos estímulos sexuais.

Estresse e Ansiedade

O estresse e a ansiedade constantes prejudicam nossa forma de interpretar e lidar com a realidade e compromete toda a rede de estímulos mentais e físicos que são necessários para a atividade sexual. Quem consegue pensar em transar depois de uma briga com o chefe?

“É natural que a nossa libido tenha variações durante nossa vida, principalmente nos momentos de mudança como separações, doença, mudança de casa, desemprego ou morte. Mas se a falta de libido for persistente e não houver motivações físicas é sinal claro de distúrbios psíquicos”, conclui a Dra. Daniele N. Tubini, psicóloga e psicoterapeuta da Clínica de Comportamento e Saúde.

Equipe Comportamento e Saúde

COMMENTS

WORDPRESS: 0
DISQUS: 0